18
Novembro

5 dicas valiosas para comprar barato na Black Friday

Para quem faz questão de pagar barato, a Black Friday é o momento mais esperado do ano. É nesse dia que as lojas fazem grandes promoções, trazendo ótimas oportunidades de compra. Nesse ano, o evento acontecerá oficialmente no dia 27 de Novembro, mas alguns estabelecimentos costumam antecipar as ofertas. Pensando nisso, nós da Actionpay Brasil, separamos algumas dicas pra você, assinante O Globo, aproveitar os descontos da melhor forma possível.

 

Sites de cupom:

 

Uma ótima maneira de pagar ainda menos em lojas online, é utilizando sites de cupom. Neles, você encontra uma grande diversidade de cupons de desconto para aplicar no carrinho das lojas, assim, aquele produto que você já ia comprar com um super desconto na Black Friday, pode ficar ainda mais barato. Os sites Cuponomia, AgoraCupom, PegaDesconto e Méliuz são excelentes opções para pôr essa dica em prática. É só acessar, buscar pelo nome da loja onde você quer comprar e encontrar o cupom que melhor atende às suas necessidades.

 

Clubes de descontos

 

Os assinantes de clubes de descontos já saem na vantagem no assunto pagar barato durante o ano todo. Com o Clube O Globo, por exemplo, você consegue descontos de até 50% em mais de 500 parceiros. Na Black Friday, esses descontos são ainda melhores, então é válido ficar de olho nas novas promoções durante esse período.

 

Sites/Grupos de Promoção

 

Os sites e grupos de promoção reúnem em um só lugar algumas das melhores ofertas da internet. Os sites, como Pelando e Promobit funcionam como uma rede social de descontos, onde os usuários encontram produtos com bom preço e divulgam na plataforma.  Já os grupos de promoção, funcionam basicamente da mesma maneira, mas se dão através de páginas do Facebook e grupos de Whatsapp e telegram, por exemplo.

 

Sites de Cashback

 

Alguns sites permitem que você receba de volta parte do valor pago nas compras em lojas online. A porcentagem desse cashback pode variar para cada site, mas sempre vale a pena receber um dinheiro de volta. Aproveitando essa dica, você consegue fazer uma boa economia, e quem sabe, utilizar esse cashback para fazer novas compras futuramente. Para isso, sugerimos o Cuponomia e Méliuz.

 

Rede de Afiliados

 

Você sabia que, além de pagar barato, você também pode ganhar dinheiro com a Black Friday!? É possível lucrar indicando promoções para outras pessoas através de uma rede de afiliados, e a Actionpay é uma excelente opção para isso! Na nossa plataforma estão disponíveis diversas campanhas e promoções, que você pode divulgar e receber uma porcentagem do valor do produto a cada venda. É simples assim! Você se cadastra, escolhe a promoção que quer divulgar, pega o link especial na plataforma e divulga. Pode ser para um familiar, um amigo, ou até mesmo nas redes sociais. Assim que alguém comprar com o seu link, uma parte do valor da venda é atribuído a você.

Além disso, a plataforma da Actionpay é mais uma opção para utilizar como cashback, já que você pode comprar no seu próprio link especial e receber por isso.

 

A nossa dica é que você alie todas essas estratégias, somando os benefícios de cada uma delas. Assim, você conseguirá pagar sempre os menores preços nas melhores ofertas. Além disso, é bom lembrar que que além de utilizar na black friday, essas dicas são pra vida! Aplique-as em seu cotidiano e você pode ter certeza que sempre fará um ótimo negócio. Boas compras!

Texto por: Larissa Barreto

afiliado — Sem comentários
Ler mais
4
Março

4 razões para investir em um Marketplace

Atualmente é quase impossível buscar por alternativas de compra online e não se deparar com produtos que são expostos em lojas virtuais e em variadas plataformas de marketplace. 

 

De acordo com uma pesquisa da UPS Pulse of the Online Shopper 2019, realizada pela PwC em parceria com a UPS, só no Brasil, 95% dos consumidores que compram online realizam o ato através do marketplace e cerca de 44,1% pretendem comprar mais produtos por esse tipo de plataforma. 

 

Isso acontece graças a segurança que o marketplace proporciona a quem o utiliza, não somente porque garante o pagamento seguro e o acompanhamento da entrega, mas também por proporcionar uma experiência de compra em que o consumidor entende que encontrou o produto com as melhores condições que deseja. 

Mas afinal, o que é um marketplace?

 

O Marketplace é como um shopping virtual. Existem diversas lojas que aparecem nesse shopping que, como em uma vitrine, expõe seus produtos, ofertas e benefícios. 

 

Quem se interessa por sua loja ou por algum produto que você vende abaixo poderá realizar a compra dentro desse espaço, sendo que a plataforma escolhida poderá arcar com o custo de envio, de meio de pagamento, entre outros trâmites operacionais.

 

Esses canais costumam aplicar o modelo CPA (Custo por Aquisição), ou seja, há uma porcentagem de comissão por venda realizada. A conta só é paga após o retorno de toda essa exposição que a plataforma realiza.

Tipos de Marketplace

Para que o marketplace esteja de acordo com seus objetivos de vendas, é muito importante saber quais são seus tipos e com qual público você deseja interagir. Entenda melhor abaixo em qual campo você se encaixa! 

 

  • Marketplace B2C – Business to Consumer; Empresa para Consumidor: a empresa está na plataforma vendendo diretamente para o consumidor final. Entre os exemplos de plataformas B2C estão: Amazon, Americanas.com; 
  • Marketplace C2C – Consumer to Consumer; Consumidor para Consumidor: Possibilita a venda entre pessoas físicas, garantindo suporte, entrega e pagamento. Neste caso, os exemplos de plataformas C2C são Enjoei, Uber, OLX e Airbnb.

Razões para investir em um marketplace

1. Baixo investimento inicial

Implantar seus produtos em um marketplace é contar que sua marca está online em uma plataforma que já possui estrutura para marketing, suporte operacional e logístico, oferecendo meios de pagamento variados com garantia de segurança em todo processo. 

 

Para quem está pensando em como abrir um negócio com pouco dinheiro, essa é uma das principais razões.

 

Inicialmente você só precisará ter estoque, capital de giro e gestão para acompanhamento do processo. 

 

É como se o marketplace realizasse a parte burocrática, que costuma gastar muito na fase inicial do investimento, enquanto você administra o capital e o desenvolvimento das linhas de produtos. 

 

2. Search – Visibilidade

 

Uma vez que você opta pela afiliação com os principais marketplaces do seu nicho, a visibilidade de sua loja aumenta graças ao grande número de acessos que essas plataformas possuem. 

 

O potencial de vendas é muito alto, pois você aparecerá para quem realmente se interessa pelo segmento em que você atua!  

 

3. Relacionamento e Fidelização com seus clientes

Assim como o Marketing de Afiliados trabalha promovendo a parceria através de experiências e recomendações de parceiros, os usuários que adquiriram seu produto através do marketplace serão capazes de ampliar as experiências a outros potenciais clientes do seu nicho.

 

O marketplace possibilita que você acompanhe o desenvolvimento das vendas, as principais queixas dos clientes e o que eles esperam de você nas próximas experiências de compra. 

 

4. Receita 

Como o produto está sendo anunciado em um canal de venda sólido e conhecido pelo consumidor daquele segmento, que provavelmente chegou lá por recomendações ou por direcionamento de suas pesquisas, a chance da conclusão da compra é muito maior.

 

Os investimentos iniciais são menores, o tráfego muito maior e ainda existe a possibilidade de manter a operação no marketplace e em seu próprio e-commerce caso o utilize.

Invista e venda muito mais

O marketplace conquistou fatias do mercado que anteriormente careciam de planejamento e de entendimento, em relação ao que o consumidor estava esperando das lojas que o interessavam.

 

Desta forma, também entendemos que esta plataforma trouxe à tona que, no final, o consumidor só precisa conhecer suas opções e sentir-se seguro com sua escolha. 

 

Independente da venda ser feita entre empresas ou entre consumidores, o importante é saber como deseja se situar e se esse meio funciona para você.

 

Não perca tempo, se essas razões fazem sentido para você, comece já a investir! 

 

Conteúdo produzido por Rebecca Marques | Equipe de conteúdo do Marketing para Indústria

 

 

 

afiliado — Sem comentários
Ler mais
19
Fevereiro

A popularização do uso de cupom de desconto online no Brasil

O primeiro registro na história do uso de cupom de desconto foi em 1887 feito pela Coca Cola como ação de marketing. A ideia era imprimir em revistas um voucher onde as pessoas podiam recortá-lo e trocá-lo por um refrigerante nos stands de venda da bebida. A partir da década de 50, nos Estados Unidos, os cupons de desconto já eram oferecidos por supermercados e lojas de departamentos e metade da população já usava este benefício com frequência. 

 

Na cultura brasileira, apesar de sermos loucos por desconto, nunca tivemos o hábito de recortar cupons e trocar por produtos ou desconto em lojas físicas. Mas isso vem mudando com o surgimento dos cupons de desconto online.

 

Com o crescimento do ecommerce no Brasil, muitos varejistas online começaram a oferecer descontos através de vouchers online para atrair novos compradores e para fidelizá-los. Hoje, praticamente todos os grandes varejistas online possuem a opção de uso de cupons de desconto em suas páginas de finalização de compra. Com isso, os consumidores começaram a buscar por códigos promocionais no Google com mais frequência, o que resultou em um aumento de demanda e consequentemente sites de cupom de desconto.

 

“O uso de cupom de desconto se tornou uma estratégia eficaz para as empresas, pois a percepção do consumidor ao aplicar o cupom e conseguir visualizar o desconto gerado ao finalizar a compra gera uma satisfação maior do que oferecer o tradicional desconto no preço do produto.” – comenta Rogério Vairo, fundador da Eu Amo Cupons.

 

Somente pelo Google, são feitas cerca de 3.5 milhões de buscas todo mês com o termo 

“cupom de desconto” ou simplesmente “cupom” associado ao nome da loja. Estima-se que cerca de 9.5 milhões de brasileiros já tenham usado pelo menos uma vez um cupom de desconto online. Empresas como ifood, Rappi e Uber estão popularizando o uso de cupons no Brasil e consequentemente outras empresas se beneficiam com isso por tabela. 

 

Americanas, Submarino, Kabum, Marisa, C&A, Hering, Netshoes e Centauro são apenas algumas das milhares de empresas que usam esta estratégia para vender e fidelizar seus clientes. 

 

Mesmo que você seja um anunciante e não tenha uma margem alta para oferecer um cupom de desconto, tente utilizá-lo como um aliado para atingir algum objetivo de marketing: um cupom com um valor mínimo de compras pode ajudar a aumentar o seu ticket médio; um de frete grátis pode incentivar as pessoas de uma determinada região a comprarem; uma categoria específica pode alavancar as vendas daquele segmento e um para primeira compra pode incentivar a aquisição de novos usuários.

 

A Actionpay possui parceria com centenas de lojas online que fazem uso desta estratégia para aquisição de clientes. Marcas como Submarino, Amazon, Shoptime, Aliexpress, New Balance e muito mais. 

 

Se você tem um ecommerce ou trabalha em um e quer expandir a capacidade de vendas, o programa de afiliados é uma boa. Acesse nosso site para se cadastrar como anunciante e faça um teste conosco. O cupom de desconto é tendência de marketing há mais de um século e se você ainda não fez o teste, vale a pena tentar! 

 

Artigo escrito por Joyce Ribeiro e Rogério Vairo. 

 

afiliado — Sem comentários
Ler mais
9
Janeiro

Quero ter um e-commerce! E agora?

Em 2017, começou a ‘’revolução’’ de lojas virtuais: pequenos empreendedores começaram a se propagarem pela Internet. Mas, para você ter um e-commerce, não basta apenas ter vontade! É preciso ter investimento (não é tão grande como de uma loja física) e muita persistência para que a sua marca ou o seu produto sejam reconhecidos no meio digital.

 

Antes de começarmos a falar de dinheiro e todas as partes burocráticas, faça uma análise da sua situação e do mercado em que você se encaixa. Por mais que você saiba como ele funciona, é com estudo, que você reconhece os pontos que precisam ser melhorados. Já em relação ao mercado, você tem que entender as tendências, como seus concorrentes estão fazendo e como o seu consumidor age para que o e-commerce possa alcançar o seu foco principal.

 

Pronto. Analisou seu negócio? Agora, planeje-se! Você vai perceber se será necessário investimento em certas áreas ou não, como deverá ser sua comunicação e entre outras coisas que você só poderá saber com a análise e planejamento feitos.

 

Outro passo para você mudar para o e-commerce é conhecer as plataformas disponíveis. São milhares de opções, das mais simples até as mais complicadas. Você pode dá uma pesquisada no Google ou contratar um profissional para analisar e instalar toda a loja para você. Existem três tipos de plataformas no mercado: gratuita, código fonte aberto e pagas. Geralmente, as pagas costumam ter um suporte de qualidade e te oferecem a possibilidade de customizar todo o layout.

 

Depois, é preciso pensar no nome. No Registro.br, você pode consultar os nomes disponíveis para a sua loja e os planos para compra do domínio custam cerca de R$ 40,00 durante o período de 1 ano. Qualquer pessoa jurídica (CNPJ) ou física (CPF) pode registrar um domínio para o seu site, desde que esteja em território nacional.

 

Após resolver essa parte, você deve pensar na divulgação da sua loja virtual. Elabore o conteúdo da sua empresa nas redes sociais, inclua as estratégias de marketing digital e desenvolva o seu relacionamento com os clientes.

 

São muitas coisas para pensar né? Vá aos poucos, estude e busque pessoas que já passaram por isso. Mas, não esqueça de se organizar e se planejar antes de começar a AÇÃO!

 

Até a próxima! 

Artigo escrito por Joyce Ribeiro 

 

afiliado — Sem comentários
Ler mais